top of page
  • Foto do escritorThielen Taveira

Como ter conversas sinceras e emocionalmente saudáveis?

Quem nunca sentiu aquele medo na hora de conversar algo mais sério com alguém, como falar sobre as coisas que nos incomodam na relação com a outra pessoa ou mesmo dar um feedback?


Eu acredito muito que a boa comunicação fortalece os vínculos humanos e é através dela que podemos resolver nossos problemas. Mas é preciso saber utilizá-la com consciência e empatia.


A consciência é fundamental para olharmos para nós mesmos, percebermos o que sentimos e o que realmente queremos comunicar. A empatia nos permite enxergar o mundo a partir da perspectiva da outra pessoa, entender possíveis razões para suas atitudes e compreender o impacto das nossas ações nas pessoas que nos cercam.


Costumamos ser bastante influenciadas na comunicação pelas nossas emoções durante a comunicação, por isso é tão importante utilizar a CNV - comunicação não violenta. Usando uma fala sincera e empática, evitando comparações, compartilhando seus sentimentos e necessidades, além de estar totalmente disposta a ouvir a outra pessoa com atenção.



Fique atento a essas cinco dicas que vão te ajudar a se preparar melhor para conversas difíceis:

  1. Evite frases vagas, abstratas e ambíguas. Seja sincero e pratique a empatia. Exemplo: combinamos de entregar aquele projeto, mas você vacilou e agora vou terminar tudo sozinha. Troque por: combinamos a entrega do projeto XYZ para segunda-feira, fiquei chateada que você não conseguiu cumprir sua parte em tempo, posso te ajudar em algo?

  2. Evite usar palavras como sempre, nunca e jamais. Essas palavras são fortes e geralmente provocam reações defensivas na outra pessoa. Exemplo: você nunca faz o que eu peço, sempre diz que vai fazer e não faz. Troque por: nas últimas duas semanas que te pedi isso, você disse que iria fazer, mas não fez. O que aconteceu

  3. Evite comparações. A comparação não é uma boa medida, pois as pessoas são diferentes, vivem em contextos e têm realidades diferentes. Se achar interessante, você pode trazer alguma inspiração, como exemplo, que pode despertar uma ideia e/ou reflexão para a pessoa, mas nunca de forma comparativa.

  4. Expresse seus sentimentos. Demonstrar nossos sentimentos não é sinal de fraqueza, mas sim de coragem. Dizer como nos sentimentos é uma forma de expressar nossa vulnerabilidade e pode ajudar a resolver conflitos.

  5. Compartilhe suas necessidades. Demonstrar sua necessidade para o outro, fazer um pedido daquilo que é importante para você, mas sem exigir nada. Isso significa demonstrar compreensão empática, caso a outra pessoa não possa atender sua necessidade.


Como diz Ruth Bebermeyer, ‘'palavras podem ser janelas ou paredes, podem nos condenar ou nos libertar’', depende apenas de como você as utiliza.


Espero que esse texto tenha te ajudado de alguma forma. Se quiser continuar o bate papo comigo, fique à vontade para escrever aqui. E se este conteúdo te ajudou, compartilhe com alguém que você acredita que também vai se beneficiar.


Com carinho, Thi.


DICA: Se você quiser buscar mais informações sobre o tema, sugiro a leitura do livro Comunicação Não Violenta - CNV do psicólogo Marshall Rosenberg.

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page